Análise: digno, São Paulo cai, põe pés no chão e mira objetivos reais para a temporada

15/09/2022 08h51


Fonte Globoesporte.com

Não foi uma surpresa a eliminação do São Paulo pelo Flamengo na semifinal da Copa do Brasil. A diferença técnica e o desempenho das equipes no período da disputa deixavam clara a posição de favoritismo aos cariocas no confronto, que terminou com placar agregado de 4 a 1 – na última quarta, no Maracanã, os rubro-negros venceram por 1 a 0.

Foi digno o São Paulo, que mesmo na condição de azarão, não se acovardou em nenhuma das duas partidas e nem abriu mão de tentar mesmo após perder em casa por 3 a 1, na ida.

A eliminação vira a página da Copa do Brasil – torneio em que o São Paulo deixou para trás o Palmeiras, no Allianz Parque – e coloca os pés tricolores de volta ao chão para que a equipe reforce foco no que lhe é mais factível: o título da Copa Sul-Americana; e no que lhe é urgente: se recuperar no Brasileiro antes que o rebaixamento se torne uma ameaça real.
Imagem: Rubens Chiri/saopaulofcCalleri e Santos em Flamengo x São Paulo.(Imagem:Rubens Chiri/saopaulofc)Calleri e Santos em Flamengo x São Paulo.

A Copa Sul-Americana é o caminho para que o São Paulo volte a disputar a Libertadores no ano que vem, uma meta óbvia e obrigatória, essencial ao clube pela exposição e receitas proporcionadas pelo torneio que não disputou nessa temporada.

Resta só um jogo para isso, a final contra o Independiente Del Valle, no dia 1 de outubro, em Córdoba, na Argentina.

É a chance, também, de voltar a ganhar um título internacional, algo que não acontece desde 2012, quando o São Paulo venceu justamente a Sul-Americana – de relevância histórica menor, mas que, neste momento, é importante na retomada de conquistas após uma década de fracassos no Morumbi.

Até por isso, é compreensível que o técnico Rogério Ceni escolha, mais uma vez, utilizar atletas reservas no dois próximos jogos do Brasileiro, os únicos antes da decisão, especialmente no do próximo domingo, contra o Ceará, em Fortaleza – mesmo em posição desconfortável no Brasileiro.

Com um elenco curto, qualquer lesão a partir de agora provavelmente significará um desfalque para a final – e Ceni já perdeu Gabriel Neves, seu titular, que se machucou contra o Atlético-GO.

Na sequência, no dia 27, enfrenta o Avaí, em casa, na véspera de viajar para a Argentina. Quando retornar de Córdoba, com título ou não, terá que lidar com a má campanha no Brasileiro.

Hoje o São Paulo tem só cinco pontos a mais do que o Cuiabá, o primeiro da zona de rebaixamento. Sem dividir atenções com as copas, cai o argumento para poupar titulares, e a tendência é de que o time se recupere nas nove rodadas que restarão.

Haverá pouco tempo para evitar que o fantasma do rebaixamento volte a puxar os pés tricolores, como aconteceu no ano passado – em que só foi exorcizado na penúltima rodada.

Foi um risco que o São Paulo – diretoria e comissão técnica – assumiu ao escolher o caminho das copas. O primeiro passo para afastá-lo é vencer a Sul-Americana.

Nisso, a queda na Copa do Brasil – por sua forma – não deve gerar turbulências que afetem os planos daqui pra frente. Era esperada, se deu com atuações dignas.

O São Paulo digeriu por três semanas uma eliminação até que ela acontecesse. Foi mais fácil de engolir. Agora precisa olhar pra frente para não se engasgar.

Para ler mais notícias do FlorianoNews, clique em florianonews.com/noticias. Siga também o FlorianoNews no Twitter e no Facebook

Tópicos: brasileiro, copa, s?o paulo