Partida do Brasileirão feminino é realizada às escuras no Piauí

04/10/2015 14h02


Fonte Globoesporte.com

A reação do Tiradentes-PI ao buscar o empate em 2 a 2 com Rio Preto neste sábado pela segunda fase do Campeonato brasileiro feminino não teve o brilho que mereceu. Duas das quatro torres de iluminação do estádio Albertão, em Teresina, não foram acesas no segundo tempo do jogo por conta de um suposto curto-circuito que impediu iluminação adequada do gramado. A escuridão virou alvo de reclamação dos torcedores nas arquibancadas.

- Atrapalhou, sim. Querendo ou não, você não consegue ver a bola porque uma parte clara e outra escura, sempre atrapalha. É ruim para dar passe, calcular a distância porque você fica encadeada. Quando a gente percebeu, falamos entre nós que era para tomarmos cuidado porque a gente não conseguia se ver. Tínhamos que olhar mais de uma vez para ter certeza que era a amiga - revela a atacante Vilma, autora de um dos gols do time piauiense.

Imagem: Renan MoraisClique para ampliarTorres do Albertão não são acesas. Tiradentes-PI e Rio Preto-SP jogam com pouca visibilidade.(Imagem:Renan Morais)

A Federação de Futebol do Piauí (FFP) informou que o delegado da partida entrou em contato com a Eletrobrás para resolver o impasse, mas a concessionária garantiu reparar o sistema elétrico do estádio apenas na segunda-feira.

As suspeitas recaem, segundo a federação, em uma possível queda de energia ou danos provocados por chuva. O árbitro Antônio Dib Moraes de Sousa relatou na súmula da partida o ocorrido.

- Informo que, no decorrer do segundo tempo da partida, duas torres de iluminação não acenderam, mas este fato não interferiu no andamento da partida, uma vez que as demais torres funcionaram normalmente, prosseguindo o jogo até o final - assinalou no documento.

Tópicos: porque, partida, torres