Artesanato do litoral piauiense fortalece cultura do estado e ganha o mundo

12/09/2022 10h36


Fonte ClubeNews

Imagem: DivulgaçãoRegião litorânea é berço de grandes talentos que, por meio da arte, retratam belezas naturais e o cotidiano.(Imagem:Divulgação)Região litorânea é berço de grandes talentos que, por meio da arte, retratam belezas naturais e o cotidiano.

O litoral do Piauí, além das belezas naturais, é berço de talentos que, por meio da arte, provêm o sustento de famílias e fortalecem a cultura e a história do estado. Usando madeira, que logo se transforma numa bela escultura, ou diversos tipos de tecido com cores vibrantes, artesãos e artesãs veem suas obras ganharem os quatro cantos do país e do mundo.

Dimas de Sousa Ribeiro já perdeu a conta de quantos anos trabalha esculpindo. Ele é conhecido, na região, por talhar cachorros de formas diferentes na madeira. O artesão, que não esconde o orgulho que sente pelo que faz, descobriu que o seu trabalho foi parar em capitais como São Paulo e Rio de Janeiro, chegando, inclusive, na Europa e nos Estados Unidos.
Imagem: Arquivo ClubeNewsDimas e a esposa, Maria da Conceição.(Imagem:Arquivo ClubeNews)Dimas e a esposa, Maria da Conceição.

“Essa é uma arte que a gente ama, pega uma madeira e esculpe. A gente se admira de nós mesmos, do que a gente é capaz de fazer. Às vezes, só vendemos mesmo porque precisamos. Se não fosse, deixava dentro de casa”,
expressou.

Para o artesão, o reconhecimento do seu trabalho é algo bastante inspirador. “Hoje, todos nós precisamos de dinheiro, mas a gente também vê aquele amor, se sente reconhecido. Ver você numa televisão é maravilhoso demais, a gente dá cada pulo. Não é muito maravilhoso? Ali é um orgulho”.

A arte teve outro papel importante na vida de Dimas, pois o conectou, cada vez mais, com a esposa, Maria da Conceição. Hoje, ela também se dedica às esculturas. “Se você me perguntar se sei fazer tudo, eu sei. Sei ir pro mato e escolher (a madeira). Hoje, a gente é muito feliz. Sinto muito orgulho do meu esposo, graças a Deus, e a gente é muito feliz trabalhando junto. Dá para a gente se entender direitinho”, disse.

Do oceano à vila de pescadores

Inspirada pelo mar, a artesã Nêda Lopes utiliza tudo aquilo que o oceano traz para retratar belezas que a rodeiam, como a vila de pescadores em Cajueiro da Praia. A artesã, assim como Dimas, viu sua arte ganhar o mundo afora.
Imagem: Arquivo ClubeNewsA artesã Nêda Lopes (Imagem: Arquivo ClubeNews)A artesã Nêda Lopes

“Vou à maré e pego as bases, tudo o que a maré traz. Como lá é o encontro do mar com o rio, tudo o que ela traz eu pego, pode ser grande ou pequena. Eu já peguei peças de mais de 1 metro, aí eu consigo montar o vilarejo em cima, contando a história da vila de pescadores, contando como é o dia-a-dia da vila porque eu tento fazer com que as pessoas queiram morar aqui, nessa vilinha”.


Complexo Turístico Porto das Barcas
Imagem: Divulgação/João AlbertComplexo Turístico Porto das Barcas.(Imagem:Divulgação/João Albert)Complexo Turístico Porto das Barcas.

O vai e vem de clientes no Complexo Turístico Porto das Barcas, em Parnaíba, é algo que muito anima a vendedora Leidiane Alves. O espaço, um dos principais atrativos da região, valoriza e oportuniza o acesso aos trabalhos de vários artistas locais. São muitos estilos e em cada um há uma oportunidade para o turista levar ao menos uma simples lembrancinha.

“O turista se encanta. Ele fica encantado mesmo e leva. Às vezes, não tem nem espaço (na mala), mas ele se vira, leva na mão. A gente manda também, fazemos envio”,
comentou Leidiane.

Confira as últimas notícias sobre Cultura: florianonews.com/cultura
Siga @florianonews e curta o FlorianoNews

Tópicos: gente, arte, pescadores