Análise: com ou sem reforços, ninguém compete em decisões como o Palmeiras no Brasil

29/01/2023 09h40


Fonte ge.globo.com

Se começou o ano com jogos que não empolgaram sua torcida no Paulistão, o Palmeiras entregou tudo que se esperava e mais um pouco na conquista da Supercopa, após o eletrizante 4 a 3 em cima do Flamengo, sábado, no Mané Garrincha, em Brasília.

Jogo com muitos gols, alternância no placar, belos lances... Em 2021, os dois times, hoje as maiores forças do futebol brasileiro, já fizeram uma partidaça naquela Supercopa, vencida pelo Flamengo nos pênaltis após 2 a 2 no tempo normal. Agora, veio a "vingança" alviverde.
Imagem: Ettore Chiereguini/AGIFPalmeiras campeão da Supercopa.(Imagem:Ettore Chiereguini/AGIF)Palmeiras campeão da Supercopa.

Tudo isso em um momento de profundo debate sobre a falta de contratações no Palmeiras. Os titulares Danilo e Gustavo Scarpa foram embora, a diretoria ainda não contratou nesta janela e vem sendo muito criticada.

E qual foi a saída de Abel sem os dois? Usar Gabriel Menino e Raphael Veiga como titulares. Cada um fez dois gols na conquista desse sábado, em Brasília (DF). Enquanto o camisa 23 foi eleito o craque do jogo (com justiça), Menino também foi muito bem.

O fato é que não há time que jogue decisões no futebol brasileiro como o Palmeiras de Abel Ferreira. Com contratações ou sem, o discurso do treinador se aplica em campo: a força coletiva faz mais a diferença do que o talento individual.

Há que se lembrar que são apenas cinco jogos no ano, os dois times também apresentaram erros durante o 4 a 3, mas o Verdão mostrou, mesmo sem dois então titulares, um estilo mais próximo ao do time que venceu o Brasileirão, há quase três meses.

O português explicou que a preparação física neste início de ano era para chegar nas melhores condições na Supercopa. Foi por isso que o Palmeiras conseguiu jogar em um ritmo mais alto do que no Paulista, com uma marcação agressiva já no campo de ataque, acelerando para usar os espaços que o Flamengo dava.
Imagem: Mateus Bonomi/AGIF  Gabriel Menino comemora gol em Palmeiras x Flamengo.(Imagem:Mateus Bonomi/AGIF ) Gabriel Menino comemora gol em Palmeiras x Flamengo.

Gabriel Menino ainda não é tão eficiente quanto Danilo na marcação, mas foi uma grande peça ofensiva: fez dois gols (um deles lindo) e quem mais finalizou na equipe. Sem reforços por enquanto, tentar recuperar o melhor desempenho do camisa 25 é um acerto de Abel.

O técnico, mais uma vez, mostrou o conhecimento sobre seu grupo ao mudar estratégias para a decisão: trocou Dudu e Rony de lado, e ao mesmo tempo que fez o Palmeiras jogar de forma muito agressiva durante boa parte do confronto, não teve dúvidas ao "estacionar o ônibus" nos minutos finais e trabalhar para bloquear o Flamengo diante da vantagem no placar. Nas duas estratégias, o time sempre esteve organizado.

A concentração deste time em jogos grandes é algo que chama a atenção, pois são muitas decisões. Desde 2020, o Verdão já venceu sete títulos, chegou em outras finais e segue querendo vencer.

A Supercopa é um título de menor importância, mas o fato de ter sido contra o Flamengo o potencializa. Não dá para dizer que esta taça será suficiente para que a torcida diminua a cobrança por contratações, mas é outro exemplo de que a Terceira Academia não pensa em parar tão cedo.