Estudante é transferido após viralizar com vídeos na escola e ganhar 10 mil seguidores

04/08/2022 10h02


Fonte G1 PI

Imagem: Arquivo PessoalEstudante viraliza, ganha 10 mil seguidores em duas semanas e é transferido após vídeos em escola de Teresina.(Imagem:Arquivo Pessoal)Estudante viraliza, ganha 10 mil seguidores em duas semanas e é transferido após vídeos em escola de Teresina.

“De modo algum foi minha intenção afetar negativamente a imagem da instituição”,
essa foi a declaração do estudante Pedro Lopes Lima Neto, de 17 anos, que viralizou nas redes sociais após publicar vídeos dentro de um ônibus escolar, em Teresina. Na última segunda-feira (1º), o adolescente, conhecido como Lokinho, anunciou que teve a transferência determinada pela Unidade Escolar Sigefredo Pacheco, onde estudava.

Em nota, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) negou que o pedido de transferência de Lokinho tenha sido motivado pela produção de vídeos para as redes sociais, mas sim pelo mau comportamento do aluno, que “não segue o regimento da escola” (leia o posicionamento completo ao fim da reportagem).

Vídeos viralizaram

Lokinho viralizou nas redes sociais com vídeos em que aparece dentro do ônibus escolar, na volta para casa, ao lado de outros estudantes.

Em um dos registros, ao passar em frente à Penitenciária Professor José Ribamar Leite, a antiga Casa de Custódia de Teresina, o adolescente grita "um alô pra Casa de Custódia”. Em seguida, é possível ouvir um coro de alunos também gritando. O vídeo, publicado em 19 de julho deste ano, acumula mais de 72 mil visualizações em uma página nas redes sociais.

Após a publicação das imagens, ele chegou a ganhar cerca de 10 mil seguidores em apenas duas semanas. Ao g1, Pedro, o Lokinho, contou que ficou surpreso com a repercussão das gravações.

“Sempre gostei dessa vida de influencer, de criador de conteúdo. Então sempre gostei de gravar vídeos, filmar a rotina. Naturalmente decidi publicar e esse, um dos primeiros, já deu muita visualização. Tomou uma proporção grande e, como era meu sonho, resolvi me dedicar. Vi que as pessoas estavam gostando”,
contou.

Em outro vídeo, o adolescente aparece cantando e dançando em salas de aula da antiga escola, durante os intervalos. Em julho, ele chegou a ter o celular "apreendido" pela diretoria da instituição de ensino e também registrou o momento. "Algum de maior pra vir pegar meu telefone na escola? Meu telefone só vai ser liberado quando alguém de maior vir (sic)", diz Lokinho em trecho da gravação.

Na segunda-feira (1º), o adolescente, que está no 1ª ano do ensino médio, foi chamado pela diretoria da Unidade Escolar Sigefredo Pacheco para uma reunião. Estiveram presentes o conselho escolar da instituição e o Conselho Tutelar.

“Eles entraram em contato comigo, conversaram, falaram em expulsão e até processo. Como o Conselho Tutelar estava, autorizaram apenas a transferência. Mas fui pego de surpresa, não me alertaram, não avisaram antes que isso podia acontecer. Nunca foi minha intenção prejudicar a escola, nunca, eu só estava me divertindo”,
afirmou Pedro.
Imagem: Arquivo Pessoal  Estudante viraliza, ganha 10 mil seguidores em duas semanas e é transferido após vídeos em escola de Teresina.(Imagem: Arquivo Pessoal ) Estudante viraliza, ganha 10 mil seguidores em duas semanas e é transferido após vídeos em escola de Teresina.

Ainda na segunda (1º), o adolescente anunciou nas redes sociais, por meio de uma "nota de esclarecimento", a transferência compulsória.

“Como todos sabem, costumo postar as minhas vivências na escola por aqui, de forma bastante descontraída, mas também real. Porém, após a grande quantidade de visualizações, principalmente do vídeo no ônibus, a escola onde eu estudava decidiu pela minha expulsão, o que impediu a continuidade dos meus estudos e também dos vídeos nos intervalos ou durante a ida/o retorno da escola”, declarou.

No comunicado, Pedro destacou que pretende voltar a estudar e dar continuidade à produção e publicação de vídeos.

“Reconheço que errei ao usar a farda da escola durante a gravação, mas reitero que, de modo algum, foi minha intenção afetar negativamente a imagem da instituição ou incitar a desordem. Por fim, espero conseguir voltar a estudar em breve e prometo continuar a postar minhas experiências diárias por aqui com muita alegria e entusiasmo, como sempre faço”,
completou.

Confira a nota completa da Seduc

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informa que a motivação do pedido de transferência do aluno da Unidade Escolar Sigefredo Pacheco não é a produção de vídeos para redes sociais, mas sim o mau comportamento do mesmo, que não segue o regimento da escola e atrapalha o processo de aprendizagem dos outros estudantes. A Seduc informa que já estão reunidos na escola o conselho escolar da unidade, a equipe de mediação de conflitos da Seduc, a psicóloga da 19ª Gerência Regional de Educação (GRE) e a mãe do adolescente de 17 anos, para tentar resolver da melhor forma possível essa situação.

Veja mais notícias sobre Educação, clique em florianonews.com/educacao

Tópicos: escola, adolescente, lokinho