Aluna do IFPI Floriano concorre à premiação em Feira Brasileira de Jovens Cientistas

24/06/2020 15h46


Fonte IFPI


A estudante Samya Alves do curso técnico em Edificações participa da primeira edição da Feira Brasileira de Jovens Cientistas (FBJC) e concorre à premiação com os projeto “Mapeamento de produção de uso dos espaços públicos (praças) da cidade de Floriano-PI”.

Os projetos apresentados vão concorrer a prêmios como credenciais para a Conferência Internacional de Jovens Cientistas (ICYS) 2021, na Grécia, e para a Feira de Tecnologias, Engenharias e Ciências do Mato Grosso do Sul (FETECMS). Além disso, os trabalhos terão o reconhecimento de instituições como a Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e a Associação Brasileira de Incentivo à Ciência (ABRIC).

O evento, que será totalmente virtual, vai ocorrer de 26 a 28 de junho de 2020 e terá palestras, workshops e uma maratona de inovação.

FBJC – A feira foi idealizada por quatro jovens cientistas, dentre eles, Juliana Estradioto e Daniel Verdi do Amarante, que são egressos da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, dos Institutos Federais do Rio Grande do Sul (IFRS) e Catarinense (IFC), respectivamente.
Imagem: DivulgaçãoSamya Alves(Imagem:Divulgação)Samya Alves

Sou aluna do Instituto Federal do Piauí - Campus Floriano. Estou participando da Feira Brasileira de Jovens Cientistas e meu projeto pesquisou a importância do uso das praças para a qualidade de vida da população. Pedimos para que curta e compartilhe o nosso projeto para que ele tenha mais visibilidade dentro do evento. Se você puder me ajudar e conhecer mais é só clicar neste link:  Projeto "Mapeamento de Produção e Uso dos Espaços Públicos (praças) da cidade de Floriano - Samya Alves

O projeto realizou um mapeamento das praças da cidade de Floriano com o intuito de fazer um levantamento histórico da produção desses espaços assim como uma análise dos usos que os mesmos oferecem para a população. Durante o projeto, os pesquisadores fizeram uso da pesquisa bibliográfica e documental para a caracterização tanto da cidade de Floriano como do estudo de mapas para a listagem das praças implantadas. Em seguida aconteceram as visitas em campo para avaliação técnica-construtiva.

Por fim, a elaboração do relatório final com o mapeamento das praças estudadas contendo os usos que elas proporcionam para os usuários, seus pontos positivos e negativos e o nível de conservação. Como metodologia foram utilizadas visitas em campo, check-lists, observações em loco com apoio do diário de bordo e registros fotográficos. Os resultados da pesquisa mostram que as praças mais utilizadas da cidade estão localizadas no centro, próximas de comércios e serviços.

As praças localizadas em bairros residenciais e na periferia da cidade não promovem usos diversificados, precisam de manutenção, a maioria não disponibilizando lixeiras nem bancos para permanência, características que justificam a falta de uso pela comunidade. Com este mapeamento foi criado um conjunto de diretrizes que podem melhorar o aspecto das praças estudadas para uma tentativa de atrair a população para o uso desses locais.

Tópicos: floriano, projeto, campus