Venezuelanos são levados para abrigo na zona Norte de THE

16/05/2019 08h57

Venezuelanos são levados para abrigo na zona Norte de THE.
Imagem: ReproduçãoClique para ampliarVenezuelanos são levados para abrigo na zona Norte de THE.(Imagem:Reprodução)

Acolhidos em um abrigo improvisado na noite de terça-feira (14), o grupo de venezuelanos que estava acampado na praça do Estádio Lindolfo Monteiro agora está em um local coberto.

A ajuda foi dada pelo MP3 que cedeu provisoriamente um centro social urbana desativado como alojamento para os 52 imigrantes.

Localizado na zona Norte de Teresina, o local também funciona como sede da associação de pescadores do Poti Velho. Com estrutura defasada, o prédio é uma alternativa para a falta de abrigo.

Não há quartos para ele se instalem. Há três organizações não governamentais envolvidas no atendimento aos venezuelanos.

Além da estrutura física cedida pelo MP3, uma entidade contribui com a alimentação e uma terceira busca diálogo com o poder público para encontrar uma área rural na qual as famílias possam se instalar para se manter, já que muitos do grupo alegam ter habilidades para a agricultura. Eles buscam trabalho para ajudar familiares que ficaram na crise

De acordo com a Prefeitura de Teresina, uma equipe de agentes de proteção social composta por 10 profissionais está acompanhando o grupo de venezuelanos. Os agentes buscam contabilizar o número exato de imigrantes e verificar se eles possuem cadastro de regulamentação migratória, obrigatório ao entrar no país.

A prefeitura também deve analisar se os venezuelanos já possuem CPF e se foram imunizados. De acordo com o poder público, apenas diante dessas informações é possível encaminhar os venezuelanos assistência pela Política Nacional e Assistência Social.
Imagem: ReproduçãoClique para ampliarVenezuelanos são levados para abrigo na zona Norte de THE.(Imagem:Reprodução)

Acolhidos em um abrigo improvisado na noite de terça-feira (14), o grupo de venezuelanos que estava acampado na praça do Estádio Lindolfo Monteiro agora está em um local coberto.

A ajuda foi dada pelo MP3 que cedeu provisoriamente um centro social urbana desativado como alojamento para os 52 imigrantes.

Localizado na zona Norte de Teresina, o local também funciona como sede da associação de pescadores do Poti Velho. Com estrutura defasada, o prédio é uma alternativa para a falta de abrigo.

Não há quartos para ele se instalem. Há três organizações não governamentais envolvidas no atendimento aos venezuelanos.

Além da estrutura física cedida pelo MP3, uma entidade contribui com a alimentação e uma terceira busca diálogo com o poder público para encontrar uma área rural na qual as famílias possam se instalar para se manter, já que muitos do grupo alegam ter habilidades para a agricultura. Eles buscam trabalho para ajudar familiares que ficaram na crise

De acordo com a Prefeitura de Teresina, uma equipe de agentes de proteção social composta por 10 profissionais está acompanhando o grupo de venezuelanos. Os agentes buscam contabilizar o número exato de imigrantes e verificar se eles possuem cadastro de regulamentação migratória, obrigatório ao entrar no país.

A prefeitura também deve analisar se os venezuelanos já possuem CPF e se foram imunizados. De acordo com o poder público, apenas diante dessas informações é possível encaminhar os venezuelanos assistência pela Política Nacional e Assistência Social.

Fonte CidadeVerde.com

Para ler mais notícias do FlorianoNews, clique em florianonews.com/noticias. Siga também o FlorianoNews no Twitter e no Facebook

Tópicos: grupo, social, venezuelanos